Home / Artigos e Pesquisas / Desempenho de bovinos de corte na fase de recria

Desempenho de bovinos de corte na fase de recria consumindo forragem de baixa qualidade e suplementados com MUB

- Experimento conduzido no Sítio Experimental da Conapec Jr. (UNESP Botucatu), São Manuel – SP, e publicado no Jornal Translational Animal Science em parceria com Prof. Dr. Philipe Moriel – Universidade da Florida (EUA), Prof. Dr. José L. M. Vasconcelos e CONAPEC Jr. – UNESP Botucatu.



Cem novilhas Nelore recém-desmamadas de 184 kg foram utilizadas para avaliar o desempenho de MUB comparado à suplementação convencional para animais de recria consumindo forragem de baixa qualidade (feno de Brachiaria Brizantha ~6% proteína), simulando o período de secas no Brasil. Os animais foram colocados em 20 piquetes (5 animais/piquete) e suplementados por 45 dias com: 1) SM (sal mineral aditivado com monensina), 2) MUB (bloco de melaço desidratado; MUB) e 3) PROT (proteinado 2 g/kg peso vivo [PV]). Os animais do tratamento SM receberam o suplemento de acordo com a quantidade de MUB consumida no dia anterior para garantir a mesma ingestão de nutrientes e os animais do tratamento PROT receberam o suplemento a 0,2% do peso vivo (2 g/kg de PV). A ingestão diária de suplemento foi de 60 g para SM, 92 g para MUB e 386 g para PROT (Figura 1).

Figura 1: Ganho de peso diário de novilhas de corte consumindo forragem de baixa qualidade e recebendo diferentes formas de suplementação.

O ganho de peso diário (GPD) foi menor para SM (180 g/d) e não diferiu estatisticamente entre MUB e PROT (260 e 270 g/d, Figura 2).

Figura 2: Ingestão dos diferentes suplementos (MS; g/d) fornecidos para novilhas Nelore consumindo forragem de baixa qualidade.

CONCLUSÃO

Suplementos contendo proteína, energia, minerais e aditivos são uma estratégia eficiente a ser adotada durante a seca no Brasil, período no qual as forragens possuem baixa qualidade nutricional. A ingestão diária de MUB (92 g por animal) foi 4 vezes menor que a ingestão de PROT (386 g por animal), promovendo o mesmo desempenho animal e ambos com desempenho superior ao sal mineral com monensina (SM). Portanto, nesse estudo, MUB demonstrou ser uma alternativa efetiva em substituição aos proteinados de até 0,2% PV para bovinos de corte em recria consumindo forragem de baixa qualidade, além de ser uma estratégia de suplementação que pode reduzir significativamente o custo operacional e o desperdício de suplemento.