Home / Artigos e Pesquisas / Efeito de diferentes formas de suplementação

Efeito de diferentes formas de suplementação sob a síntese de proteína microbiana de bovinos de corte à pasto

- O experimento foi conduzido no setor de Zootecnia da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) pelo Prof. Dr. Jefferson Rodrigues Gandra. Artigo publicado em forma de posteres no 29º Congresso Brasileiro de Zootecnia (Zootec 2019).

O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da suplementação com MUB, bloco ou proteinados sob a síntese de proteína microbiana para bovinos de corte à pasto. Cinco animais mestiços canulados no rúmen, com idade de 24 ± 2,5 meses, com peso médio de 380 ± 25 kg foram divididos aleatoriamente em 1 quadrado latino 5x5 e alocados em piquetes individuais de Brachiaria Brizantha (~10% PB, ~55% FDN). Se utilizou 10 d para a adaptação das dietas experimentais e 5 para a colheita de dados, totalizando 72 dias de período experimental entre os meses de maio e julho de 2018. As dietas experimentais foram: 1- Suplementação mineral simples (SM); 2- Suplementação Proteica Farelada 1 (0,3% do PV; PROT1); 3- Suplementação Proteica Farelada 2 (0,3% PV; PROT2); 4- Suplementação com bloco de melaço desidratado (MUB) e 5- Suplementação com bloco de melaço prensado (BLOCO). A ingestão diária de suplemento foi de 0,03% PV para SM, 0,09% PV para MUB, 0,30% PV para os proteinados (PROT1 e 2) e 0,22% PV para o BLOCO. Os animais do tratamento MUB tiveram maior síntese de proteína microbiana e absorção de N que os demais tratamentos, além de baixo resíduo alimentar nas fezes e ganho de peso diário (GPD) satisfatório para o período.


Figura 1: Síntese de proteína microbiana (g/dia) de bovinos de corte no período das secas recebendo diferentes formas de suplementação.


Figura 2: Consumo (g), absorção e excreção (%) de nitrogênio diária de bovinos de corte no período das secas recebendo diferentes formas de suplementação.


Figura 3: Resíduo de alimentos nas fezes (%) de bovinos de corte no período das secas recebendo diferentes formas de suplementação.


Figura 4: Ganho de peso diário (kg/dia) de bovinos de corte no período das secas recebendo diferentes formas de suplementação.

CONCLUSÃO

Nesse estudo, animais suplementados com MUB tiveram consumo aproximadamente 3,5 vezes menor que os proteinados, e 2,5 vezes menor que o bloco, e mesmo assim mostraram maior eficiência na produção de proteína microbiana e absorção do N disponível, resultando em alta digestibilidade dos nutrientes e, consequentemente, ganho de peso diário satisfatório. Diferente da suplementação convencional ou dos blocos prensados, MUB é completamente sólido e seu modo de consumo por diversas vezes ao dia (gotejamento de nutrientes), e a maior sincronia dos açúcares do melaço com o N do suplemento e da forragem, podem explicar esses resultados. Portanto, MUB se mostrou uma alternativa eficiente para suplementação de bovinos de corte consumindo forragem de média qualidade, além de ser uma estratégia de suplementação que pode reduzir significativamente custo operacional e desperdício de suplemento.